Continue vivo! Como transformar suas Aplicações Cliente/Servidor em Rich Internet Applications (RIA) e Software as a Service (SaaS)

Autor: Avigor Luttinger, VP Corporate Strategy, Magic Software Enterprises – http://avigdorluttinger.wordpress.com/

Avigdor Luttinger

O mercado de aplicações de negócios como serviço  (software-as-a-Service / SaaS) está agora em fase de crescimento acelerado e está configurado para se tornar uma parte significantes tanto do espaço PME (Pequenas e Médias Empresas) quanto no Corporativo.

Salesforce.com é um dos maiores e mais bem sucedidos destes fornecedores SaaS até o momento, e apresenta muitos pontos de referência para a tendência SaaS – sendo a Platform as a Service (PaaS) a mais recente. Então o que está impedindo agora outros prestadores de serviços e fornecedores de aplicativos a replicar o sucesso de Salesforce.com tornando-se líderes no fornecimento de SaaS?

Uma razão importante poderia ser que eles não tenham ainda vencido a dupla de desafios do desenvolvimento de Rich Internet Applications (RIA) e entrega SaaS que lhes permitiriam atrair ISV´s e suas aplicações em grande número suficiente para oferecer um portfólio completo de aplicações. E por uma boa razão:

A dificuldade do desenvolvimento RIA

Uma das principais condições para o sucesso de SaaS baseado na web é a orientação RIA. Isso significa que a aplicação SaaS deve fornecer uma experiência do usuário pelo menos em paridade com as tradicionais aplicações Cliente/Servidor e a entrega deve ser através da internet através de um thin client que não precise de nenhum gerenciamento e instalação explícitos.

Alguns produtos com o Adobe Flex e o Microsoft Silverlight têm ferramentas e plataformas que entregam aplicações RIA atraentes, com a riqueza da experiência do usuário exigida hoje. No entanto, este nível de oferta vem às custas de um pesado esforço de desenvolvimento – o que significa que você tem que criar camadas cliente e servidor separadas e a comunicação entre elas. E para fazer isso você precisa gerenciar pelo menos dois paradigmas de desenvolvimento diferentes e habilidades de desenvolvimento. O resultado é um projeto mais complexo que a abordagem atual que utiliza um único paradigma de desenvolvimento no estilo Java.

A dificuldade da entrega SaaS

Adicionalmente à dificuldade do desenvolvimento RIA está o problema da entrega. Uma das maiores dificuldades do SaaS (difererente do ASP) é o uso de uma infra-estrutura de aplicações única que pode ser aplicada a vários clientes (ou inquilinos) e seus usuários. No entanto, embora ótimo para reusabilidade e economia de custos, isso cria um grande desafio quando são utilizadas aplicações baseadas em código – onde sua capacidade de multi-tenant deve ser construída no código. Por exemplo, como você pode acompanhar o que o inquilino está utilizando e quando? Como você gerencia seus direitos de uso em um plano personalizado de assinatura? Como você isola cada ambiente de execução dos inquilinos (tratamento com customização, atualização de softwares selecionados e restauração de banco de dados) enquanto estiver tirando vantagens de sua redução geral (sendo comum a todos os inquilinos)? E como você faz para faturar cada um?

Superando as barreiras de um legado de aplicações de negócios

Salesforce.com é o único fornecedor que responde com eficácia aos desafios de RIA e SaaS, desenvolvendo sua própria plataforma  e aplicação de software a partir do zero. Hoje, Salesforce.com tem uma aplicação de negócios muito atrativa, e uma série de addons criados por parceiros ISVs.

No entanto, o que acontece quando um pequeno parceiro ISV, querendo acrescentar sua aplicação
para um grande fornecedor, considera que não pode fazer isso facilmente, porque a sua aplicação foi construída utilizando
C + + ou Java? Mesmo fornecedores, como a Salesforce.com enfrentam o desafio de aumentar a
variedade de aplicações em  sua plataforma – a sua nova plataforma proprietária é incapaz executar diretamente ou permitir a migração de aplicações construídas usando linguagens de programação tradicionais.

Há, então, uma barreira importante para ISV’s aderirem ao SaaS em maior número —
E esta barreira está impedindo que mais fornecedores de aplicativos repliquem o sucesso do Salesforce.com. O desafio de criar uma oferta SaaS bem definida baseada, em parte, mediante  ao sucesso assimilado das aplicações existentes de ISV´s permanece como um dos principais bloqueios para provedores  SaaS hoje.

A vantagem de uma  plataforma de aplicações orientada a meta-dados

Plataformas de aplicações orientadas a meta-dados como o uniPaaS (eDeveloper) da Magic Software oferecem uma forma de contornar a barreira do negócio eficazmente pela migração e transferência de toda a lógica empresarial
de sucessivas gerações de sistemas operacionais e hardware. Em termos práticos, os milhares
de ISV’s e Empresas, que começaram a trabalhar com a tecnologia da Magic Software, tanto há mais tempo quanto na década de 80, com aplicações baseadas em MS-DOS/Netware agora pode transformar estas aplicações
em aplicações RIA com o mínimo de alterações, e conservando completamente a lógica empresarial.

ISV´s que trabalham sobre uma plataforma de aplicações orientada a meta-dados podem agora dar um salto de qualidade em direção ao RIA e SaaS sem o custo de reescrever, e sem a necessidade de uma equipe de trabalho com diversas habilidades.

E se fornecedores de aplicações empresariais querem construir rapidamente e com sucesso um portfólio SaaS, tudo o que eles precisam fazer é explorar estes ISV’s, e com uma aplicação orientada a meta-dados, facilmente e a um custo eficaz transformar aplicações Cliente/Servidor nos tipos de produtos procurados pelos clientes atualmente. Plaformas de aplicações orientadas a meta-dados representam o ganha-ganha para ISV’s e fornecedores de aplicações de negócios, e prometem abrir
mais mercados para o pleno potencial da revolução RIA e SaaS.

[polldaddy poll=1662938]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.