Por que ficar “Rico” não precisa ser caro

Muitas empresas hoje sabem porque faz sentido mudar para RIA. Elas reconhecem os benefícios substanciais que podem ser obtidos com a migração, mas ainda estão relutantes em dar o próximo grande passo e desenvolver aplicações de negócios que incorporam a verdadeira essência do RIA corporativo, ou seja, uma rica experiência do usuário que melhora performance e produtividade.

RIAs corporativos são aplicações estilo desktop que se caracterizam pela riqueza e funcionalidade interativas para oferecer uma experiência do usuário muito melhor em comparação com as aplicações padrões baseadas em browser. Enquanto a interface do usuário no RIA corporativo não precisa incluir os elementos gráficos elaborados e complexos ou animações interativas associadas com aplicações comerciais, sociais ou jogos, ela deve, porém, ser clara e envolvente para prover usabilidade intuitiva e eficiente. Um conjunto de aplicativos como o Google Docs mostra a impressionante, robusta e rica  experiência do usuário que pode ser alcançada na implementação do RIA em todo o seu potencial.

Frequentemente as empresas se limitam a fornecer apenas as funcionalidades mais básicas, com pouca atenção para a qualidade da experiência do usuário.  Ao fazer isso, elas tiram o ‘rico’ fora do RIA. Mas por que isso está acontecendo? Como podemos explicar essa relutância para abraçar o verdadeiro valor agregado do RIA?

Parece que a resposta reside principalmente na natureza do processo padrão de desenvolvimento do RIA. As ferramentas de desenvolvimento RIA normalmente exigem esforços de desenvolvimento separados para o lado Client e para o lado Server de uma aplicação, utilizando normalmente linguagens de programação diferentes e exigindo diferentes habilidades do desenvolvedor. Equipes separadas de desenvolvedores precisam ser contratadas, treinadas, e gerenciadas. A dependência de múltiplas equipes e conhecimentos pode criar gargalos no processo, e torna mais difícil atualizar uma aplicação conforme as necessidades dos usuários evoluem. Então, diante do alto custo e do trabalhoso  processo de criação e manutenção de aplicações verdadeiramente ricas, algumas empresas barram o investimento necessário de tempo, dinheiro e esforço.

No entanto, essas empresas não precisam mais ter receio do ciclo de desenvolvimento para RIA. Plataformas de aplicações orientadas a metadados oferecem uma nova abordagem para a implantação RIA, simplificando e racionalizando o processo de desenvolvimento. Por exemplo, com a tecnologia correta, agora é possível usar uma única linguagem de programação e ter um único esforço de desenvolvimento para criar tanto o lado Client quanto o lado Server do aplicativo. Sem múltiplas equipes; sem múltiplos esforços de desenvolvimento; sem ciclos de desenvolvimento morosos e caros; apenas a liberdade para se concentrar em melhorar a riqueza da experiência do usuário.

Basta somente utilizar as ferramentas corretas para o trabalho. As empresas não devem se contentar com menos, quando se pode obter muito mais da experiência RIA, com um investimento relativamente pequeno. Quando se trata de RIA, ficar ‘rico’ não tem que ser caro.

Equipe de Marketing da Magic Software Enterprises

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.