Por que a integração é a chave para projetos SOA bem sucedidos

Magic Software Brasil

Neste post, adaptado de nosso amigo David Akka, discutiremos como a oferta iBOLT da Magic Software pode ser uma porta de entrada legítima para uma Arquitetura Orientada a Serviços – SOA.

Como sabemos, SOA é definido como “um conjunto flexível de princípios de design utilizados durante as fases de desenvolvimento e integração de sistemas em informática. Um sistema baseado em SOA empacota funcionalidades como um conjunto de serviços interoperáveis ​​que podem ser usados ​​em diversos sistemas diferentes de vários domínios de negócios”. O desafio é fornecer uma função de negócios para chamar serviços de arquiteturas diferentes e variadas, não simplesmente, por quaisquer meios.

A experiência de muitas empresas que passam por SOA tem sido repleta de tensões e pode dar uma sensação de ter voltado no tempo com preocupações focadas em:

– granularidade dos serviços como função
– orquestração (liberação, atribuição e gerenciamento do serviço)
– empacotar ou substituir aplicações legadas
– quão intuitiva é a interface do usuário e quão uniforme ela é

Estes problemas podem levar os adotantes de SOA a um processo muito moroso de discussão e deliberação, que por sua vez, pode estender o projeto de SOA por semanas ou mesmo meses. Mas e se houver uma abordagem alternativa que tenha como efeito o inverso do acima? Esta abordagem inversa iria começar com a pergunta sobre qual funcionalidade é necessária para cada processo de negócio para abordá-la tão rapidamente quanto possível. Em outras palavras “o que” precisamos atingir, em vez de “como” podemos alcançá-lo. O desafio com esta abordagem, que separa lógica de negócios das discussões técnicas, é que precisa haver uma perfeita integração que permita a comunicação entre todos os aplicativos necessários, sendo assim capaz de orquestrar a migração desde componentes até serviços.

Isto é onde nós vimos o iBOLT da Magic chegar como uma plataforma de integração que é capaz de modular, gerenciar, acompanhar e executar as mudanças de aplicações monolíticas para uma instituição de processos de negócio orientada a serviços. Estas discussões são extremamente interessantes, pois mostram que em muitas empresas, SOA ainda é um tema muito quente e que é necessário abordar mais cedo ou mais tarde, reforçando o ponto de que qualquer projeto de SOA começa e termina bem com uma boa ferramenta de integração.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.