O Outro Lado da Integração

Ao longo de anos eu estive envolvido em centenas, senão milhares de projetos de integração, e no coração de quase todos projetos está um cálculo da redução do custo total de propriedade (TCO, em inglês).

Agora, enquanto todo mundo fala sobre o TCO, e os vendedores oferecem três áreas: hardware, licenças e serviços, há um outro lado que é frequentemente esquecido: benefícios financeiros.

integration-320x200

O Outro Lado

Um exemplo perfeito destes benefícios financeiros é o valor do seguro.

A parte fundamental de qualquer valor de seguro refere-se ao nível de incerteza que a seguradora identifica contra o risco do ativo segurado.

Como projetos de integração reduzem a incerteza, criando uma visão de ponta a ponta da empresa, isso pode reduzir o valor do seguro.

Por exemplo, eu trabalhei com um gerenciador de carga com mais de 130 locais em mais de 30 países, que tiveram um grande problema com roubo de carga nos armazéns.

Nossa solução permitiu-lhes controlar facilmente a localização e o rastreamento de cada item, o que levou a uma redução imediata e dramática em roubos, e seu valor de seguro passou de sete para seis dígitos.

Embora este número raramente seja citado em uma justificativa de TCO, é claro que isso representa um grande bônus para os negócios.

risk-300x300

 

Envelhecimento de Ativos

Outro benefício financeiro que é frequentemente esquecido é a longevidade dos ativos de TI: não só em quanto tempo eles duram, mas quanto tempo um sistema pode ser executado antes que avanços na tecnologia o tornem funcionalmente obsoletos.

Uma solução de integração “ruim” vai envolver os vários sistemas da empresa e permitir que eles conversem entre si.

Quando dizemos “solução ruim” é porque embora ela alcance o objetivo de negócios de curto prazo da integração dos sistemas, ela mantém as filosofias e conceitos de diferentes sistemas.

Por outro lado, uma “boa solução” cria uma camada que representa as necessidades do negócio e como resolvê-los, independentemente dos aplicativos que ela abrange.

Esta camada seria personalizada para responder a cada cenário encontrado no negócio e os processos seriam enviados para ela a partir da aplicação e função de negócios adequada.

Por exemplo, se o seu processo de negócio envolve dados que estão sendo transferidos do sistema financeiro, para o CRM, e depois para o sistema ERP, e talvez de volta para o sistema financeiro mais uma vez, uma camada de aplicação independente nos permite analisar os benefícios da integração de uma perspectiva diferente.

1_system-integration-300x200

 

Em primeiro lugar, você pode substituir qualquer sistema com o mínimo impacto sobre o desempenho global.

Eu já ouvi falar sobre isso como sendo mudar o motor de um avião, enquanto ele está voando, porque é possível continuar executando o sistema em produção, enquanto implementa e testa a nova integração.

É difícil quantificar o valor comercial de tal capacidade, mas quando necessário, ele pode representar uma grande economia de custos, e com baixo risco.

Em segundo lugar, a camada de integração virtual significa que se um ativo não está atualizado, isso é menos relevante, porque as lacunas podem ser preenchidas por meio de outros aplicativos e processos, que podem ser feitas sob medida para os sistemas específicos envolvidos.

Isto significa que as aplicações antigas podem ser mantidas em funcionamento durante mais tempo, na realidade, os ganhos podem ser da ordem de 25% a 40% sobre as normas da indústria, que em alguns casos, o sistema pode ser executado durante até 20 anos.

Isto representa uma redução significativa da despesa de capital.

Esses exemplos mostram os benefícios da integração baseada em processos sobre métodos baseados em sincronização de dados, pois permitem criar soluções de negócios livres de dependências, que fornecem o melhor TCO em sistemas multidimensionais, a longo prazo.

O custo oculto: atualizações de sistema

Há um outro benefício financeiro para integração baseada em processo, que reduz a pressão para executar atualizações do sistema, com todos os seus custos associados.

Por exemplo, um grande fornecedor de ERP recentemente lançou sua última versão que veio com muitas interfaces móveis, serviços web, verificações e assim por diante, mas como resultado seus usuários ficaram sob pressão para atualizar para esta última versão.

Agora, a atualização de um grande sistema de ERP pode levar anos e custar milhões em caso de grandes instalações, mas é visto como interessante porque os componentes recém-lançados são inegavelmente úteis mas não funciona sem uma atualização completa do sistema.

No entanto, com uma camada de integração, você pode simplesmente adicionar os módulos que você precisa tendo configurado a integração, e continuar a usar o seu sistema existente há vários anos com a funcionalidade mais recente.

8967497-system-integration-concept-with-puzzle-300x277

 

Melhoria nos cálculos de TCO

Os exemplos acima são provenientes de diferentes indústrias e ecossistemas, mas a mensagem é que quando se considera o TCO de um projeto de integração, isso vai além de pensar o básico que é criar um ambiente ágil e flexível, que vai trabalhar por mais tempo e trará mais benefícios financeiros do que o esperado.

Sistemas ERP nunca funcionam isoladamente: eles precisam ser conectados a uma enorme gama de outros sistemas, incluindo CRM, transportes, gestão de tempo, e assim por diante.

Isso significa que a capacidade de continuar executando o seu núcleo até mesmo enquanto implementa e altera componentes, é extremamente valiosa.

Uma camada de integração faz com que essas mudanças sejam mais suaves, permitindo que você execute sistemas em paralelo e faz a sua eventual mudança mais simples.

Eu gostaria de deixá-lo com um exemplo mais claro de quanta ingenuidade descabida pode levar você a fazer atualizações do sistema da maneira mais difícil;

Esta estória foi contada a mim recentemente por um amigo que trabalhava para um grande integrador de sistemas, e ocorreu durante os anos 90.

Esta empresa tinha sido contratada para executar uma migração completa do Data Center, e parte dessa migração envolveu o movimento de um sistema de negócios críticos de um local para o outro.

Infelizmente, não havia backup que poderia ser executado enquanto o sistema fosse movido, e os dados tinham de ser absolutamente consistentes.

Então a empresa em migração adotou uma solução que envolveu a preparação de um novo sistema no Data Center, deixando-o pronto para seus novos dados, mas no sentido de obter os dados eles precisavam do novo sistema funcionando em paralelo com o antigo.

Então eles colocaram um mainframe idêntico em um caminhão, com um gerador para mantê-lo funcionando no trânsito e estacionaram ao lado do antigo Data Center.

Sim, eles fizeram exatamente o que você está pensando: conectaram na máquina antiga, e funcionou no estacionamento (o que acontece com a segurança de acesso!) por duas semanas, monitorando cuidadosamente os dados para garantir que estava consistente, em seguida, no grande dia em que desconectaram ele, levaram-o no caminhão para o novo local, conectaram ele com o novo sistema e passou mais duas semanas validando os dados antes de desconectá-lo.

cart-before-horse-300x146

Certamente há uma maneira mais fácil …?

David Akka - CEO Magic Software UK
David Akka – CEO Magic Software UK

Artigo Original

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.