Plataforma de Aplicação Magic xpa e Team Foundation Server

Glenn Johnson - Senior Vice President – Magic Software Americas
Glenn Johnson – Senior Vice President – Magic Software Americas

Recentemente, como a maioria de vocês sabe, a Microsoft substituiu o antigo Visual SourceSafe por um novo produto chamado Team Foundation Server (TFS) para a Gestão do Ciclo de Vida de uma Aplicação (ALM) e para o controle de fontes.

 

 

A Plataforma de Aplicação Magic xpa requer que a ferramenta Source Code Control seja compatível com o SCC e o Team Foundation Server atende a esse critério. Um software adicional é necessário para que se possa utilizar o Team Foundation Server como SCC para o Magic xpa.

Para fazer com que o Magic xpa trabalhe com o TFS você precisará instalar o MS TeamExplorer, o qual irá gerenciar o workspace do TFS. Você deverá instalar também o provedor MSSCCI. O download do servidor pode ser realizado sem custos no MSDN.

A nova versão do TFS é chamada de Team Foundation Server 2012 e é uma evolução das ferramentas de Gestão do Ciclo de Vida das Aplicações Microsoft. O TFS 2012 melhora a experiência do gestor do projeto ao utilizar uma nova interface web para exibir o backlog dos produtos e a iteração deste backlog. O Team Explorer foi modificado para melhorar a eficiência do workflow. O Novo Feedback Manager e suas características de storyboard permitem uma melhor comunicação entre a equipe de desenvolvimento.

Você irá se recordar que o TFS 2010 era permitido pelas planilhas do backlog e da iteração do backlog, no template do Agile Team Project. O TFS 2012 reposicionou as planilhas e as moveu para a interface do Team Web Access. Agora cada projeto pode ser gerido em um web app. Também está disponível o portal do SharePoint, como na versão prévia do TFS. A interface do Team Web Access permite que os gestores dos projetos vejam e gerenciem qualquer projeto, iteração, área de trabalho e membros da equipe. Ele também permite acesso aos relatórios.

A interface do Team Web Access utiliza os novos padrões  “Metro” UI da Microsoft  como você pode ver na página abaixo. (Ainda temos permissão para chamá-lo de Metro?) 

A partir da página inicial, você pode ver informações dos KPIs sobre o atual sprint ou iteração, assim como as horas restantes de iteração, capacidade, backlog de itens em progresso, e a data inicial e final do sprint. Uma nova ferramenta permite que você nomeie as datas até o sprint. A página inicial inclui uma tabela burndown e Team Favorites, as quais fornecem visão customizada da dashboard para consultas, mudanças recentes nos recursos e histórico.

O conceito de equipe também foi melhorado. Você pode criar equipes separadas dentro de um único projeto ou em seus próprios backlogs de produtos, sprints, membros e outras informações de rastreamento únicas para cada equipe. O motivo de uma iteração ser atribuída à uma equipe: relatórios podem ser rodados apenas para uma equipe específica  utilizando o filtro de iteração encontrado no relatório. Cada equipe tem sua própria iteração do backlog do produto onde os itens de trabalho são exibidos.

Um sprint de backlog possui duas guias, uma que contém os itens de backlog do produto atribuídos ao sprint assim como as sub tarefas associadas à eles como a visão das capacidades do membro da equipe. A partir daí, a guia pode executar as tarefas planejadas por conta própria.

Para equipes rodando em desenvolvimentos Scrum e Agile, o TFS tornou-se muito melhor.

Por favor nos informe se você tiver alguma experiência com o TFS e a Plataforma de Aplicação Magic xpa. (Nos comentários abaixo ou pelo email: blog@magicsoftware.com.br)

 

Glenn Johnson – Senior Vice President – Magic Software Americas

Link para Post Original: http://migre.me/aY3fc


 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.