Obtendo o máximo da Mobilidade

BCS – The Chartered Institute for IT
Enabling the information society

A estratégia corporativa móvel está evoluindo e existem oportunidades e riscos para as empresas no futuro. David Akka, da Magic Software Enterprises, explica algumas das opções.

David Akka – CEO – Magic Software UK

Os dispositivos móveis e smart phones como  BlackBerry, Nokia e Apple, e as aplicações que os acompanham, tornaram-se onipresentes no espaço do consumidor, onde as vantagens são evidentes e consideráveis. Alguma coisa sobre a natureza do trabalho, todavia, tem criado um atraso na execução de aplicações móveis corporativas.

Pode haver uma série de razões para isso, algumas psicológicas bem como materiais. Considerando que o ‘consumidor’ muitas vezes implica um certo nível de mobilidade, nós geralmente pensamos no espaço de trabalho como um ambiente estático, com o trabalhador sentado atrás de uma mesa. E enquanto alguns setores são inerentemente móveis, empregando técnicos em campo, os trabalhadores da linha de produção, rastreamento de veículos de frota ou administração de estoques, o trabalhador móvel como um conceito ainda não foi plenamente abraçado pela classe corporativa.

Mas as coisas estão mudando, e por vezes, uma crise pode estimular a mudança. A recessão econômica pode agir como uma força para o bem a este respeito, onde o equivalente econômico da sobrevivência do mais forte obriga as empresas a focar na inovação do negócio e cortar a gordura das operações extravagantes. Em tal ambiente, as vantagens da mobilidade corporativa estão vindo agora à tona.

O potencial das aplicações móveis

Um erro comum entre os decisores corporativos é pensar que um aplicativo móvel deve necessariamente substituir um sistema back-office totalmente, um para um. A verdade é que isso simplesmente não é possível. Sistemas back-office custam milhões para desenvolver e são muito mais poderosos.

Em vez disso, aplicações móveis são perfeitas para habilitar equipes de trabalho para executar tarefas.  Devido à inteligente designação de certas tarefas do back-office para uma aplicação móvel, a equipe pode ser mais eficiente dentro e fora do escritório. Uma maior produtividade nas empresas é atingível com uma estratégia móvel inteligente, enquanto as empresas compreendem suficientemente as práticas e psicologia organizacional da sua força de trabalho.

Três desafios

Mas isso irá permanecer apenas uma teoria se a indústria não superar as limitações técnicas e econômicas das plataformas de aplicações móveis atuais. Há três questões principais que são atualmente uma preocupação: complexidade de desenvolvimento, consistência do desempenho e segurança.

Em primeiro lugar, há os obstáculos de design que os desenvolvedores enfrentam quando desenvolvem aplicativos móveis.

A natureza dos negócios exige que os aplicativos corporativos sejam ricos em termos de funcionalidade e experiência do usuário. Se você está construindo um sistema móvel que permite trabalhadores executarem tarefas que integram funcionalidades de sistemas CRM, SCM ou ERP,  você irá precisar de painéis poderosos que mostram gráficos em movimento, históricos, atualização de níveis de estoque, dados de vendas e pedidos, tudo via internet. Um aplicativo móvel corporativo deve também combinar a poderosa funcionalidade dos aplicativos desktop com a disponibilidade comum da internet; não é uma tarefa fácil.

Desenvolver um aplicativo móvel também significa criar uma tela menor e mecanismos de entrada limitados. O aplicativo deve ser leve o suficiente para caber na memória e poder de processamento limitados do telefone ou dispositivo, mas deve ser poderoso o suficiente para permitir aos trabalhadores concluir suas tarefas essenciais.

Depois há a questão da consistência da performance e confiabilidade. As empresas raramente podem pagar as dores do crescimento associado a uma nova aplicação, os trabalhadores irão rapidamente se desiludir e parar de utilizá-la e os custos serão espirais quando os desenvolvedores tentarem consertar problemas após a implantação.

Além disso, há a crescente questão da segurança. Dirigir-se à miríade de crescentes ameaças da internet é caro e pode prejudicar os desenvolvedores fora do desempenho do negócio principal de uma aplicação tornando mais difícil a longo prazo competir com fornecedores de aplicativos corporativos móveis como Salesforce.com, Workday e Rackspace.

Plataforma de aplicações metadados – uma saída?

Empresas que buscam desenvolver uma aplicação móvel têm opções, especialmente se elas utilizam uma nova classe de plataformas de aplicações. Baseadas em metadados, estas plataformas de aplicações pré-compilam e pré-configuram processos de codificação pesada, percorrendo assim um longo caminho para simplificar o processo de desenvolvimento e implantação de aplicações.

Menor complexidade do desenvolvimento

Desenvolver uma aplicação móvel com funcionalidades ricas não é fácil, a tecnologia de aplicações ricas de internet (RIA) exige dois tipos de programadores. Programadores RIA para a interface do usuário no lado client, e programadores tradicionais de lógica de negócios para o lado server da aplicação.

Uma plataforma de aplicações metadados, todavia, pré-compila e pré-configura este trabalhoso processo de escrita intensiva de código. Então um único programador pode criar e entregar a aplicação de negócios inteira, do início ao fim, sem o uso de várias linguagens de programação ou equipes de desenvolvimento. Com menos conjuntos de habilidades para gerenciar, a empresa se beneficia de custos de desenvolvimento e tempos de implementação menores.

Melhor estabilidade no desempenho

Uma plataforma metadados, pela sua natureza, isola a tecnologia fundamental da lógica de negócios das aplicações. Menos formas de codificação técnica significam um ciclo de desenvolvimento mais interativo e prototipação mais fácil. Isto significa que desenvolvedores são capazes de identificar deficiências na aplicação móvel antes que ela vá para sua implantação completa – após isso as falhas se tornam muito mais caras para consertar.

Maior segurança da internet

As ameaças de segurança para aplicações baseadas na internet continuam a aumentar, com o forte crescimento atribuído a fatores como novos vírus, malware e ataques de hackers.

E isso parece não importar que navegador você utiliza, se é Internet Explorer, Firefox, Safari ou outros.  Mesmo as últimas versões, como o Internet Explorer 7, provavelmente não serão capazes de manter os ladrões que sempre parecem estar um passo a frente da polícia.

As plataformas de aplicações têm seu próprio lado client dedicado, então as aplicações móveis não rodam em ou dependem de browser. Criar uma aplicação móvel independente de browser irá percorrer um longo caminho para garantir que é mais segura; permitindo às empresas focar na perfeição das funcionalidades de sua aplicação. O resultado final é que a aplicação móvel será executada na internet, irá se comportar como uma aplicação desktop em termos de funcionalidade e desempenho, e terá um nível de segurança próximo a uma aplicação desktop também.

A chave, então, é as empresas reconhecerem que as aplicações móveis entregam um valor de nicho – e os desenvolvedores não tentarem morder mais do que eles podem mastigar através do desenvolvimento de um aplicativo móvel que cobre todo o espectro funcional dos pesados sistemas back-end.

Ao utilizar uma plataforma de aplicações orientada a metadados, as empresas podem simplificar o processo de entrega de aplicações móveis. Ao criar aplicações móveis utilizando plataformas inteligentes e mais rentáveis, qualquer tamanho de empresa será capaz de gerar melhorias mensuráveis na produtividade do trabalho que os servirá bem, independente do clima econômico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.