Como a integração de dados pode abrir caminho para a Indústria 4.0?

A Indústria 4.0 se expande em muitos países e muitas empresas estão construindo suas plantas inteligentes com o uso de sensores, big data e inteligência artificial (IA).

Todas estas companhias estão enfrentando o inevitável desafio de aproveitar toda a velocidade e agilidade que as novas tecnologias oferecem, especialmente quando se trata de automação de processos. Infelizmente, muitas estão sobrecarregadas por infraestruturas legadas pesadas e não conseguem impulsionar facilmente as mudanças.

O resultado final é claro para todos: o ROI positivo virá rapidamente para aqueles que são capazes de adotar a Indústria 4.0 mais rapidamente, desenvolvendo sistemas avançados que superem seus concorrentes globais.

Devemos apontar aqui o papel da integração de dados neste processo e como um facilitador de qualquer implementação de projeto de Indústria 4.0.

Construindo a infraestrutura certa

De acordo com um estudo da Deloitte, “Para se preparar para a velocidade exponencial de mudanças introduzida pela Indústria 4.0, qualquer fabricante de sistemas de TI antigo precisará de atualização”.

Além disso, se os sistemas que gerenciam cada fase da fabricação estiverem separados, a gestão precisará integrar os sistemas ERP, MES e PLM para que os fabricantes possam obter insights importantes para maximizar sua produtividade.

Cada sistema contém dados essenciais para maximizar a eficiência e a qualidade da fabricação. O ERP tem como função gerenciar os negócios de fabricação de produtos, o sistema de execução de manufatura (MES) controla o próprio processo de produção e o gerenciamento do ciclo de vida do produto (PLM) rastreia o projeto dos produtos que estão sendo produzidos.

Quando os dados são integrados, novas eficiências podem ser introduzidas no chão de fábrica e no back office.

Juntando as peças

O MES pode compartilhar a quantidade exata de produtos que foram produzidos, excluindo o total de itens defeituosos ou rejeitados e devolvidos ao sistema ERP, a fim de fornecer dados de inventário em tempo real durante o processamento de pedidos. O sistema ERP pode, então, fornecer informações sobre pedidos futuros para que o chão-de-fábrica possa ser mais rápido para atender à demanda.

Para melhorar a qualidade do produto e acelerar o tempo de produção, as informações de projeto do produto podem ser alimentadas diretamente do sistema PLM para o MES, incluindo uma lista completa de materiais (BOM – Bill Of Material), que pode substituir processos manuais exaustivos na linha de produção. A estreita sincronização entre os sistemas PLM e MES também permite um alto nível de personalização com base nas especificações do cliente ou para acomodar as capacidades de produção de uma planta local ou em um país específico.

A integração não precisa ser limitada ao chão de fábrica ou ao back office. Ao compartilhar informações com fornecedores, pode haver previsão de demanda mais precisa e melhor controle de estoque para melhor gerenciamento de materiais. Além disso, uma logística mais eficiente pode reduzir custos e acelerar a entrega de produtos, o que não é apenas bom para o resultado final, mas também para a satisfação do cliente. O resultado final é uma lacuna menor entre o projeto do produto e a entrega, o que beneficia a todos.

Construindo a espinha dorsal de informações

Inicialmente, ao integrar apenas um sistema a outro, é tentador adotar uma integração de sistema ponto-a-ponto para manter os custos baixos e aproveitar os recursos internos que estão familiarizados com os dois sistemas. Mas, à medida que os pontos de integração se multiplicam, os custos de desenvolvimento aumentam exponencialmente e a arquitetura final é mais difícil de manter e gerenciar. Uma plataforma de integração profissional também pode atuar como middleware, fornecendo uma camada de apresentação comum para dados de sistemas diferentes, enquanto dá a vantagem adicional de que as empresas não precisam substituir sistemas legados. A integração pode eliminar esta necessidade.

Quando os sistemas ERP, MES e PLM estão integrados, eles conseguem acelerar a produção e melhorar a qualidade, tornando-se um alicerce para inovação que melhora continuamente a execução da produção. Uma melhor integração de dados também pode facilitar novos modelos de cooperação e interação com fornecedores, parceiros de negócios e clientes, para fornecer aos fabricantes uma vantagem competitiva distinta.

 

Stephan Romeder – Managing Director – Magic Software Europe

Novo Comentário