Tag MS Dynamics

Webinar (Português): Integrando CRM Dynamics, Sharepoint e JD Edwards

Departamentos de TI, usuários de Oracle JD Edwards, Microsoft SharePoint e Dynamics CRM estão procurando maneiras de integrar os dados, trocar mensagens e integrar processos de negócio entre essas aplicações. Neste webinar, vamos demonstrar uma abordagem padrão de interface para integração de aplicativos entre o JD Edwards e Microsoft SharePoint e Dynamics CRM. Veja como uma abordagem de arrastar, soltar e configurar pode lhe dar controle sobre todos os tipos de dados, transformações e processos, sem qualquer necessidade de programação manual.

 

 

Magic Software Brasil

Padrões e Melhores Práticas para Integração ERP

Glenn Johnson – Senior Vice President – Magic Software Americas

Integração ERP pode ser definida como o processo de projetar, testar e implementar processos de negócios automatizados, orquestrando as conexões entre os sub-processos de um sistema de planejamento de recursos empresariais e os sub-processos de outros aplicativos de software corporativo, aplicações web, ferramentas de conteúdo, sistemas de e-mail/comunicação, mídias sociais e workflow humano.

Quando alguém aplica os princípios de integração ERP para um sistema ERP específico, isso pode se tornar conhecido como Integração SAP, Integração JD Edwards, Integração Peoplesoft, Integração Oracle eBusiness Suite (EBS), Integração Lawson, Integração Dynamics, Integração Sage, etc.

Melhores Práticas e Padrões de Integração durante a Implementação de Sistemas ERP

Plataforma agnóstica. Os sistemas ERP estão ligados a uma plataforma de aplicações ou ambiente específicos, tais como J2EE ou. NET e você também os executa em um sistema operacional específico. Sua integração de aplicações empresariais (EAI) e solução de gerenciamento de processos de negócios (BPM) deve ser capaz de trabalhar com todos os principais ambientes de computação e sistemas operacionais, incluindo Windows, Linux, UNIX e IBM i. Uma boa solução de integração ERP vai mesmo ser capaz de suportar os padrões de integração IBM i e padrões de integração de mainframe para aquelas organizações que executam aplicações nestes ambientes.

Modelagem e execução integradas. Muito freqüentemente, os analistas de negócio são forçados a modelar processos de negócios de alto nível usando uma ferramenta e executá-los usando soluções completamente diferentes, incluindo programação manual, pacotes de componentes java, ou soluções de EAI e BPM mal concebidas. Os gerentes de TI precisam ser muito cuidadosos aqui. Só porque a mesma marca, tais como IBM WebSphere ou Oracle Fusion Middleware, é aplicada a uma variedade de produtos diferentes utilizados para modelagem e integração pelos fornecedores, não significa que eles sejam integrados e projetados para trabalhar juntos. Ambas as marcas são conhecidas por ter usado uma estratégia de aquisições ao invés de uma estratégia de desenvolvimento unificado para ganhar mercado. Como resultado, suas ofertas para integração de aplicação e gerenciamento de processos de negócios são desconexas, confusas, sobrepostas e frustrantes para serem entendidas – e mais ainda para serem utilizadas.

Decisores de negócios devem ser extremamente cuidadosos com as recomendações que amarram sua integração ERP com estas soluções de integração desarticuladas e fraturadas de grandes marcas. Elas exigem numerosas compras de licenças de software e um exército de desenvolvedores e implementadores para realizar a integração. Não caia na “armadilha do mel”, método de vendas que convence que você precisa de apenas uma das muitas ferramentas de software avulsas oferecidas por estas marcas e, em seguida, prossegue com uma estratégia para vender mais e mais  produtos diferentes e desconexos que são agrupados sob a mesma marca, a fim de tentar forjar uma solução de trabalho.

Monitoramento e Design paralelos. Quando o monitor de integração utiliza a mesma interface visual que o estúdio de design de integração, fica muito mais fácil para seus gestores de TI monitorarem a execução de seus processos de negócios. Monitoramento e design paralelos significam que o fluxograma que você criou para seu projeto de integração é o mesmo que você utiliza para controlar sua execução. No estúdio de design você pode se aprofundar em qualquer componente para ver a sua configuração. No ambiente de monitoramento você pode se aprofundar em qualquer componente no fluxograma para acompanhar a sua execução.

Nenhuma Programação Manual. Há uma série de soluções de integração de aplicativos que destacam o fato de serem livres de código, ou que nenhuma programação manual é necessária. Isto só será útil se a solução o levar longe o suficiente na direção de seu objetivo final. Uma viagem gratuita de táxi que te deixa a vinte milhas de seu destino não tem nenhum valor. Uma solução de EAI que é livre de código, mas não pode adaptar-se à variedade de tecnologias em uso hoje, é igualmente de efeito muito limitado. Alguns vendedores podem mostrar uma demo estratégica de integração entre o JD Edwards EnterpriseOne e Salesforce.com, por exemplo. Mas eles realmente possuem os adaptadores de baixo nível necessários para integrar o JD Edwards World? Podem se integrar com aplicações legadas? Filas de mensagens? Fontes de texto não estruturadas? Eles podem funcionar com arrays multi-dimensionais? Será que eles possuem uma gama completa de operações lógicas incluídas em seus editores de expressão?

Equilíbrio entre Adaptadores de Alta Granularidade e Baixa Granularidade. É impossível para qualquer solução de integração de ERP ter adaptadores pré-construídos para todos os outros aplicativos que você pode possivelmente querer integrar. É por isso que é muito importante que a solução de integração ERP escolhida tenha os adaptadores tecnológicos necessários para realizar o trabalho. Isso significa muito mais do que ter suporte para bancos de dados e web services. Verifique atentamente para ver se a solução escolhida tem suporte para protocolos de comunicação, sistemas de arquivo, codificação / decodificação, redes e outras tecnologias de alta granularidade de baixo nível que te permitirão colocar em prática a integração necessária, sem recorrer à programação de interfaces para essas tecnologias. Qualquer analista de negócio que tenha experimentado a satisfação de realmente configurar uma solução de integração e não programá-la, entenderá este ponto muito claramente.

Aplicações compostas. Estas são as aplicações que são montadas utilizando tanto componentes de múltiplas aplicações existentes e adição de funcionalidades desenvolvidas especificamente, quanto serviços, tais como leitura de pedido do cliente, validação do status do cliente, cálculo do desconto ao cliente, ou aplicação de desconto ao pedido. Os componentes de uma aplicação composta são criados independentemente uns dos outros, sem o conhecimento ou análise dos diferentes modelos de informação que estão sendo usados. Na verdade, eles são independentes de plataforma, o que significa que o componente  que fornece algum serviço pode residir em qualquer plataforma capaz de fornecer tal serviço. Quando a integração ERP permite que o sistema ERP forneça serviços como parte de uma aplicação composta, você valoriza muito mais o seu investimento no ERP e começa a ver a recompensa prometida por fornecedores de ERP no início.

Arquitetura Fracamente Acoplada. Seu padrão de integração ERP deve incorporar arquitetura de baixo acoplamento com forte integração com o sistema ERP em si. Arquiteturas fortemente acopladas dependem umas das outras. Assim, alterações em qualquer componente podem (o que freqüentemente acontece) exigir mudanças em muitos outros componentes. Arquiteturas fracamente acopladas, em contrapartida, mantêm independentes os componentes que podem operar de forma independente. Uma arquitetura de baixo acoplamento permite substituir ou modificar componentes sem ter que fazer mudanças que refletem para os outros componentes. Desenvolvedores podem exigir a tecnologia correta para o trabalho sem ter que se preocupar com dependências técnicas. Na integração com ERP, você vai querer ter a certeza de que manterá os fontes do ERP e os destinos de terceiros separadamente (e vice-versa).

Componentes Stateless (sem estado). Os sistemas de ERP normalmente são capazes de múltiplas transações simultâneas. Isto é essencial para a escalabilidade da arquitetura. Quando um componente permite que mais de uma instância do componente esteja em uso simultaneamente e com estados separados, então ele é considerado um componente stateless. Isto tem a vantagem da escalabilidade e é vital para uma implementação robusta de arquitetura orientada a serviços e integração escalável de ERP.

Componentes Dinâmicos. Embora seja vantajoso ter componentes stateless em termos de dados de cada instância de execução, também é vantajoso ser capaz de configurar componentes de forma flexível para seu ambiente. Suponha que você está configurando a integração do Microsoft Dynamics CRM com o Oracle JD Edwards EnterpriseOne. Um sistema que utiliza componentes dinâmicos permitirá que você atualize a configuração do componente de forma a refletir quaisquer campos ou tabelas personalizados em uso nos ambientes de destino. O projeto de integração ERP é bastante simplificado quando os componentes utilizados podem ser passados em um pacote XML que configura a instância de execução. Um sistema de ERP que combina componentes sem estado e dinâmicos terá grandes vantagens, tanto no projeto concepção e execução.

Web Services. A Integração de ERP que utiliza Web Services pode vir a ter programação incrivelmente intensiva. Web Services programados manualmente também são difíceis de manter. Com Web Services nós estamos falando sobre o uso de protocolos padrão (como o WSDL, SOAP e UDDI) para “envolver”  serviços SOA, de forma que possam ser compartilhados com outras aplicações através da Internet. Este termo é freqüentemente usado como sinônimo de “SOA”, apesar de Web Services ser na realidade um mecanismo que permite SOA. Mas apenas porque estas tecnologias estão sendo utilizadas, isso não significa que você deve recorrer à programação delas. Uma boa solução de integração evitará completamente a necessidade de programar conexões para o seu sistema de ERP e outras aplicações, sistemas de comunicação e Web Services em seu ambiente.

Enterprise Service Bus. Um enterprise service bus é um mecanismo de mensageria distribuído baseado em XML, orientado a eventos – é um tipo de implementação de arquitetura orientada a serviços. É mais adequado para ambientes com servidor Wintel do que para ambientes de computação de médio porte, embora um sistema de médio porte possa certamente funcionar como um nó em uma implantação de enterprise service bus.

Sem um planejamento cuidadoso e a seleção de uma solução ágil de integração de processos de negócios orientada a eventos, a Integração ERP será cara, demorada e instável. Embora muitas empresas procurem evitar riscos, comprometendo-se com soluções de grandes marcas para integração, em vez disso eles estão expondo-se a maiores riscos e apenas evitando a culpa. É o fracasso destas grandes soluções para integração que inspirou a Magic Software a trazer a solução de integração iBOLT. Os wizards amigáveis ao usuário do iBOLT, as opções de arrastar e soltar, e as tabelas permitem criar conexões diretas com as aplicações corporativas implantadas em qualquer tecnologia de hardware, sistema operacional ou banco de dados. O resultado é uma arquitetura flexível e escalável que te permitirá fazer novas conexões, implementar mudanças e se adaptar rapidamente à necessidade sempre presente de mudanças em seu negócio.

Integração Microsoft Dynamics CRM – Parte II

Glenn Johnson – Senior Vice President – Magic Software Americas

Pacotes de CRM modernos como o Microsoft Dynamics CRM fazem um bom trabalho de conexão de informações entre seus próprios módulos de marketing, vendas e serviços a clientes. A integração interna é freqüentemente apregoada como um fornecedor de uma visão 360º do cliente. A integração com sistemas ERP como Oracle e-Business Suite, JD Edwards, SAP ERP R/3, SAP Business One e outros ERPs de terceiros e sistemas corporativos para HRIS, SCM, WMS, faturamento, logística, PLM, configuradores de produtos e outros software e sistemas corporativos também é necessária para se cumpra a verdadeira promessa do CRM. Em nossa discussão anterior sobre a integração com o Microsoft Dynamics CRM, discutimos o papel crucial que a integração tem ao alcançar a integração no que se refere à visão 360º do cliente, mídias sociais e web 2.0, relacionamento 1:1 com clientes e personalização em massa. Também é importante considerar a importância da integração do Microsoft Dynamics CRM no que se refere a cada um dos principais departamentos ou papéis de trabalho dentro do CRM: marketing, vendas e serviços a clientes.

Utilizando CRM para melhorar a eficácia Marketing

Um dos grandes problemas das empresas é ser capaz de monitorar o sucesso ou fracasso de seus esforços de marketing. Enquanto os departamentos de marketing podem saber como podem gerar muitos leads, raramente são capazes de descrever completamente e com precisão quantos negócios foram fechados baseado em cada atividade separada. Um dos fatores que mais contribuem para isso é a falta de informações precisas sobre o fechamento de negócios no sistema CRM. O único registro preciso de transações financeiras normalmente está contido no sistema ERP. Sem integração, a eficácia das campanhas de marketing permanece em dúvida.

Além disso, a associação precisa do lead e a geração de oportunidade para campanhas específicas pode ser difícil. O uso crescente de mídias sociais e marketing 1:1 exige a integração a fim de controlar a eficácia das campanhas.

Melhorar o gerenciamento de oportunidades de venda para aumentar a participação no mercado e a participação do cliente

A eficácia da força de vendas é vital para o sucesso de sua empresa. Estudos indicam que uma implantação eficaz do CRM pode melhorar a fração de conversão de leads de 100:1 para 5:1, e diminuir ciclos de venda em mais de um terço. Além disso, novas pessoas em vendas tornam-se produtivas na metade do tempo. Para conseguir isso, no entanto, você precisa de uma capacidade de automatização da força de vendas que está completamente integrada não apenas com marketing e módulos de serviços, mas com informação contábeis, dados de mídias sociais, sistemas logísticos e mais. Sua força de vendas precisa interagir com clientes, gestores de vendas e departamentos externos. É esta visão holística da automação da força de vendas dentro de um sistema CRM que torna um sistema que é totalmente integrado aos sistemas corporativos vital para alcançar o pleno potencial e proposição de valor do CRM. Implementar o Microsoft Dynamics CRM sozinho simplesmente não é suficiente.

CRM para aumentar a fidelidade do cliente

Um dos critérios chaves para a gestão eficaz de serviços é a questão do monitoramento e automação do workflow. Infelizmente, a empresa típica perde de 15-45% de seus clientes por ano. Entretanto, com implementações de CRM eficazes, estudos mostram que as empresas podem aumentar a fidelidade do cliente em quase 50%.

Somente com uma integração completa entre os módulos de atendimento ao cliente e sistemas corporativos, tais como sistemas de gestão RMS, sistemas de gestão SLA, módulos de ordens de serviços e peças, sistemas de gestão de serviços de campo e outros programas podem utilizar o Microsoft Dynamics CRM tornando-o totalmente eficaz. Caso contrário, os dados do cliente se perdem nos gaps existentes entre os processos e o resultado não sai como o cliente gostaria. Ter integração total entre sistemas corporativos pode significar a diferença entre gestão de atendimento ao cliente e gestão da experiência do cliente. Pode significar a diferença entre ter um cliente que é apenas satisfeito e ter um nível de fidelidade que transforma um cliente satisfeito em um fã entusiasmado.

O Microsoft Dynamics CRM faz um bom trabalho de integração de dados internos para algumas outras aplicações Dynamics e para o Microsoft Office. Este é o ponto onde a facilidade acaba. Para ir além da integração básica, uma solução de integração corporativa como o iBOLT é necessária.

A Suite de Integração iBOLT facilmente dá acesso à todas as entidades Microsoft Dynamics CRM mesmo que ela já tenha sido customizada anteriormente.

iBOLT™ é suite de integração livre de código da Magic Software que permite à você customizar e simplificar os processos de negócios de forma rápida e fácil, integrando-os entre diferentes aplicações, plataformas e bancos de dados. O resultado é uma verdadeira integração de aplicativos corporativos (EAI), arquitetura orientada a serviços (SOA), e infra-estrutura de gestão de processos de negócios.

Para ser competitivo, você precisa ser capaz de controlar processos em todos os seus negócios, especialmente quando resultados vitais do CRM precisam ser obtidos em tempo real. No entanto, podem surgir problemas, pois as empresas crescem e seus sistemas de dados ficam mais complexos – informações compartimentadas separando seu CRM de seu “negócio real” ficam então mais difíceis de localizar, acessar e compartilhar entre a empresa. A solução está na criação de um ambiente de integração de negócios com processos automatizados que consolidam diferentes dados e sistemas, de forma rápida e simples.

O iBOLT é uma suite de integração de negócios. Com a suite de integração de negócios iBOLT e seu componente Microsoft Dynamics CRM, você pode facilmente encapsular as informações de seu negócio, lógica e dados em processos de negócios interdepartamentais e multi-plataforma que conectam o CRM com outros sistemas corporativos e fontes de dados de Mídias Sociais/Web 2.0 . O bom funcionamento de processo de negócios reduz custos operacionais, melhora o desempenho das receitas e reduz riscos dos negócios.

Com o iBOLT você vê um quadro completo do negócio e uma visão 360 graus das informações dos clientes. Através da integração, sua empresa pode otimizar e extrair os benefícios máximos de suas valiosas, mas dispersas informações de negócios. Concebido para proporcionar integração acessível em todo o seu negócio, o iBOLT integra facilmente o Microsoft Dynamics CRM com diversas fontes web e aplicações que rodam em diversos bancos de dados, sistemas operacionais, e plataformas, alcançando desta forma a integração com Mídias Sociais e Web 2.0, bem como a personalização em massa e relacionamento 1:1 com os clientes.

A vantagem livre de código.

O iBOLT simplifica o design e a integração do processo de integração do Microsoft Dynamics CRM, separando a lógica de negócios da integração tecnológica. O adaptador é projetado para trabalhar diretamente com todos os campos e funções de negócios dentro do Microsoft Dynamics CRM incluindo qualquer personalização que você tenha implementado. Ele faz isto ao reconfigurar os métodos internos dos componentes na hora do design. Você pode fazer alterações no protótipo de modelos de negócios sem afetar as reais camadas técnicas ou de negócios, e antes de investir na conectividade de toda a empresa. Com um elenco de recursos user-friendly, ferramentas livres de código como wizards, opções drad-and-drop, e tabelas, iBOLT permite a você criar conexões diretas entre o Dynamics CRM e outras aplicações corporativas implantadas em qualquer tecnologia de hardware, sistema operacional, ou banco de dados.

O iBOLT é flexível, escalonável, e à prova-de-futuro, resultando em uma arquitetura que irá permitir à sua organização se adaptar rapidamente às mudanças tecnológicas e de condições de negócios enquanto diminui seus custos de TI. O iBOLT facilita a realização da promessa e potencial do CRM através da integração de ERP e CRM e muito mais.

Integração Microsoft Dynamics CRM – Parte I

Glenn Johnson – Senior Vice President – Magic Software Americas

O desafio da integração de um sistema ERP como Oracle JD Edwards World ou Enterprise One (ou mesmo Peoplesoft, eBusiness Suite, SAP ERP ou SAP Business One) com Microsoft Dynamics CRM não é muito diferente dos desafios inerentes em outras suítes CRM. Poucos sistemas CRM, por exemplo, têm integração para sistemas EDI. Quando um documento EDI é trocado com um cliente, aquela informação não é automaticamente registrada nas atividades de CRM para aquele cliente. Além disso, o desafio da associação de documentos EDI com contatos de trabalho específicos em uma empresa pode ser complexo. Os clientes corporativos conduzem transações financeiras com certos métodos como ordens de compra, condições de crédito, acordos de níveis de serviço, giro de estoques, pedidos permanentes, multi-estruturas de desconto diferenciados, etc. e as informações referentes a estas interações devem estar disponíveis para um vendedor.  Vendas, marketing e serviços de clientes corporativos devem refletir todas estas complexidades e muito mais. Um bom componente de integração do Microsoft Dynamics CRM dentro de sua plataforma de integração é essencial, mas isso é um  sólido conhecimento de como os processos de negócios de CRM e ERP interagem um com o outro. E isto é apenas o começo.

Mídias Sociais e Web 2.0

As interações de mídias sociais com clientes estão gerando outra camada de informação relevante para monitorar a história do cliente. Integrar esta informação para o Microsoft Dynamics CRM pode ser extremamente  útil para vendas, marketing e equipes de serviços. Uma suíte de integração de processos de negócios pode identificar tweets relevantes no Twitter e atualizações de status no FaceBook e LinkedIn para adicionar aos históricos de clientes. E as últimas entradas de Sites de Mídias Sociais podem ser visualizadas nas páginas de perfis. É fácil antever a necessidades de processos de negócios que conectam ERP, CRM e Mídias Sociais. Considere por exemplo, SocialLaunch, uma solução que puxa novas informações de produtos (código, nome e descrição) do JD Edwards EnterpriseOne ou JD Edwards World, popula o sistema Microsoft Dynamics CRM com a mesma informação e então cria buzz de mídias sociais sobre os novos produtos ao alimentar  automaticamente o Twitter, LinkedIn e Facebook. Clientes, empresas e outras partes interessadas que inscrevem ou seguem o conteúdo das mídias sociais relevantes terão um fluxo constante de novas informações de produtos disponíveis para eles. Adicione uma aplicação como SharePoint na mistura e você tem um caminho conveniente para um gerente de linha de produtos moderar o motor de criação de buzz. Subitamente, o modelo de negócios do antigo catálogo por e-mail direto é transformado em um catálogo disponível em tempo real para toda a sua equipe de vendas e seus clientes de acordo com suas regras de negócios.

Visão 360º do Cliente

A gestão totalmente integrada do  relacionamento com o cliente significa uma visão de 360 graus de seu cliente. Toda interação e transação com o cliente está disponível para todo o pessoal apropriado independente do sistema corporativo que gerou inicialmente os dados. Com uma visão consistente de seus clientes, você pode:

# mapear todos os contatos dentro das organizações do cliente;

# antecipar objeções e barreiras de vendas;

# identificar oportunidades de adicionar valor; e muito mais.

Com uma visão completa do cliente, você pode separar os clientes de acordo com a rentabilidade e criar abordagens exclusivas baseadas nos gatilhos de rentabilidade que você selecionar. Mais uma vez, você irá encontrar esta informação no momento em que ela acontece  em outros sistemas corporativos e nos sites de mídias sociais/Web 2.0.

# Marketing 1:1

A gestão totalmente integrada do relacionamento com o cliente permite o marketing um-para-um, onde cada cliente é tratado de forma única:

# estilo de modelos de mensagens de marketing são compilados unicamente baseados nas características conhecidas do prospect. Isto significa que campanhas únicas podem basear-se nas plenas dimensões do histórico e características do cliente. Isto permite uma resposta dinâmica às mudanças de mercado.

# o comportamento do cliente no passado influencia mensagens personalizadas;

# ofertas e incentivos são baseados no valor do cliente.

# Personalização em Massa

A gestão totalmente integrada do relacionamento com o cliente permite a customização em massa e a personalização de produtos e serviços de acordo com as necessidades individuais:

# customização em massa significa que o sistema CRM deve ser capaz de se integrar com sistemas como configuradores de produtos que geram produtos que são altamente modulares e possuem características variáveis;

# a personalização em massa requer um sistema que memorize interações passadas com clientes em todos os sistemas da empresa.

# a personalização em massa exige a integração com sites e tecnologias de Web 2.0/ Mídias Sociais.

Um CRM para toda empresa significa que uma aplicação única e integrada fornece visões únicas dos clientes, tarefas e projetos baseados nas disciplinas específicas envolvidas. Só quando totalmente integrado com os sistemas de retaguarda da empresa, e o Microsoft Dynamics CRM pode fornecer funcionalidades específicas e benefícios para profissionais de contabilidade,  vendas, marketing, serviços e atendimento de uma organização. Em nossos próximos posts sobre a integração de ERP com Microsoft Dynamics CRM, iremos discutir como os requisitos de integração afetam cada uma destas disciplinas.